Portal do Governo Brasileiro

REUNI - Reestruturao e Expanso das Universidades Federais

UNILA

No dia da libertação, reitor anuncia concursos na Unilab

Uma tarde de festa, história e de boas notícias. Em meio às homenagens pela celebração dos 127 anos de libertação dos escravos no Ceará, no Campus da Liberdade, em Redenção, o reitor Paulo Speller anunciou o lançamento dos primeiros concursos públicos na Unilab. “No momento em que celebramos festivamente esta data, recebi a confirmação do MEC para os dois concursos. São 30 vagas para docentes e 45 para servidores técnico-administrativos, vagas para nível superior e de nível médio. Estou divulgando agora e vamos preparar os editais para lançamento o mais rapidamente possível,” disse o reitor.

A Unilab abriu suas portas na sexta-feira, 25 de março, pela primeira vez, antes da aula inaugural no dia 25 de maio, para, juntamente com a Prefeitura de Redenção, acolher seus estudantes, professores e a comunidade do município e da região do Maciço de Baturité. Uma festa com direito à música, maracatu, coral Music Girls, homenagens e presenças ilustres. Como anfitrião, o próprio reitor Paulo Speller, pró-reitoras, professores e técnicos da Unilab, e a prefeita Cimar Bezerra, de Redenção, com sua equipe, representada pela secretária de Educação, Ana Paula Fonseca. A secretária foi homenageada pela conquista do Selo de Educação para a Igualdade Racial, conferido à Secretaria Municipal de Educação de Redenção, pela Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, da Presidência da República (SEPPIR/PR), segunda-feira, 21, em Brasília.

Entre os convidados presentes, o representante da Unesco no Brasil, Vincent Defourny, que fez a doação da coleção História Geral da África, em onze volumes, à Unilab, e outra para a Prefeitura de Redenção e a terceira para a Universidade Federal do Ceará. O deputado federal Mauro Benevides prestigiou a solenidade, quando ressaltou o papel integralista da Unilab e a importância da universidade para a região. A jornalista Regina Ribeiro, editora das Edições Demócrito Rocha, que lançou o livro “Descobrindo e Construindo Redenção – História e Geografia”, o coordenador de Políticas Públicas de Promoção da Igualdade Racial (Coppir), da Prefeitura de Fortaleza, Luiz Antônio Bernardo, e outras autoridades.

Ao responder perguntas dos jornalistas, sobre a importância da Unilab no âmbito das comemorações da libertação dos escravos no contexto do município e da região do Maciço, Vincent Defourny disse que se reveste de um significado muito especial, por ter sido Redenção o primeiro município a abolir a escravidão, “uma figura de dominação totalmente injusta e que, na época, mostrou que era e é possível manter novas relações e condições igualitárias para todos”. Lembrou que a Unesco acompanha desde o início, a comissão de implantação da Unilab e que vê com muito bons olhos. “Estamos muito satisfeitos por constatar este projeto tomando corpo e vemos que a equipe do reitor Speller está se empenhando, o município está participando de uma forma fantástica. A Unilab é uma grande oportunidade para todos,” disse o representante da Unesco.

Sobre a doação da coleção História Geral da África, Vincent afirmou que fez questão de estar em Redenção, “atendendo convite do reitor Speller e o fiz com muito carinho para fazer esta entrega especial para a Unilab, da coleção. A Unesco gostaria de colocar este conhecimento acumulado sobre a África dentro das pedras fundamentais da Unilab. Os tijolos são muito importantes no momento de construir uma nova universidade. Este prédio está ficando uma maravilha, e, por isso, gostaria de parabenizar a prefeitura por esta acolhida e por disponibilizar este prédio. Sem isto, seria impossível dar lugar à universidade, mas também importante é o conhecimento”, concluiu Vincent Defourny.

Ainda na programação da tarde, Vincent proferiu palestra sobre o tema “Educação, a utopia necessária”. Fez a citação de um texto de Jacques Delors, que foi presidente da União Europeia, mas também foi presidente de uma comissão da Unesco, para analisar os desafios da educação para o século 21, que se chamou Comissão Delors, e publicou o livro “Educação, um tesouro a descobrir”. Lembrou que as palabras introdutórias que leu, resumem muito bem a importância da educação para a libertação. E, seguindo o caminho dos quatro pilares da Comissão Delors, enumerou como fundamental para a educação no Século 21: aprender a conhecer; é indispensável também, aprender a fazer, como tambémaprender a ser, mas é também muito importante, aprender a conviver, a viver juntos.

E para simbolizar o que a secretária Ana Paula chamou de “reescrever a história do Município de Redenção, afirmando a nossa história e origem negra”, foi feita a entrega solene do livro didático de Geografia e História, pelo reitor Paulo Speller e pela prefeita Francisca Bezerra, a dois estudantes da rede pública de ensino. E o local da entrega não poderia ter sido outro senão o monumento que marca a libertação dos escravos, em frente ao Campus da Liberdade, sede da Unilab, na entrada da cidade. Para encerrar a solenidade, a participação do Maracatu Nação Fortaleza, que depois saiu em cortejo até a Praça da Liberdade, em Redenção.

Assessoria de Comunicação UNILAB

 

VÍDEOS

 

© Ministério da Educação. Todos os direitos reservados | Desenvolvimento: DTI - MEC - Governo Federal